Em 'Breaking Fast', um muçulmano gay é varrido no romance do Ramadã

Quebrando rápido

Atualizações rápidas: Um romance carregado termina com um controle melódico de calor em Breaking Fast, um filme que canaliza partes do estilo de comédia alegre por um ponto focal excêntrico e multiétnico.

Breaking Fast, lançado sexta-feira em VOD e computadorizado, segue Mo (Haaz Sleiman), um médico muçulmano de queda libanesa na recuperação após uma separação severa de sua namorada, Hassan (Patrick Sabongui).

Faíscas voam, de qualquer forma, quando Mo é despachado para um agradável artista americano chamado Kal (Michael Cassidy) em uma reunião para um amigo comum atrevido, Sam (Amin El Gamal).



A circunstância da reunião não poderia ser mais terrível, a propósito, já que Mo vai dar uma olhada no mês celestial do Ramadã, durante o qual os muçulmanos devem evitar queimar, devorar e praticar exercícios sexuais do nascer ao sol. crepúsculo.

Separação da proximidade separada, Breaking Fast não vagueia regularmente eliminado de ditados de comédia romântica, e não há de forma alguma, forma ou forma, a incerteza de que uma conclusão satisfatória ganhou estar no jogo de cartas para Mo e Kal pelo ponto o rolo de crédito. Independentemente disso, o filme é sincero, reflexivo e inovador em sua representação de um relacionamento culturalmente diversificado.

Lazer Vertical

Breaking Fast, Release Friday, estrelado por Haaz Sleiman (esquerda) e Michael Cassidy.

Quebrando rápido

O criador e chefe Mike Mosallam expressou Breaking Fast foi concebido de suas próprias decepções com a falta de representação muçulmana excêntrica na televisão e no cinema. Com o consolo de Michael Lannan, o criador da sucessão de temática gay da HBO, Looking, Mosallam compôs um conteúdo brevemente retratando um modelo inicial do encontro encantador de Mo e Kal.

O único Breaking Fast, lançado em 2015, foi recebido com entusiasmo por especialistas e exibido no Festival de Cinema de Cannes. Sua prosperidade provocou Mosallam a expandir a história diretamente em um filme inegável.

Eu costumava ficar muito confuso quando falava sobre o que melhor falava com uma excursão como a minha no cinema e na TV, expressou Mosallam, que mora em Los Angeles.

Muitas comédias românticas de Julia Roberts me ensinaram o que ela pretendia gostar, adquirir amor, oferecer amor, embora nenhum desses personagens parecesse gostar de mim. Então, era realmente eu querendo me encaixar, e minha excursão, em um desenvolvimento notável.